Papo de gestantes: Cuidados com o recém nascido na sala de parto! (Parte 2)

12:38

"Olá meninas, estava há algum tempo sem postar o papo de gestantes, que tenho certeza que tira a dúvida de muitas mamães. Gostaria de pedir desculpas pelo atraso deste post!!

Segue abaixo a parte 2 do Cuidados com o recém nascido na sala de parto, espero que gostem!"


Outro ponto que o pediatra observa nesse momento é o choro do bebê ou  o esforço para abrir o berreiro. Apesar de as lágrimas brotarem  espontaneamente na  maioria dos recém-nascidos, algumas crianças  não  botam  a  boca  no  mundo. A ausência do chororô costuma indicar muito mais uma característica do pequeno do que a presença de algum problema grave, principalmente se os outros dados do Apgar apontarem que ele está se adaptando bem fora do útero. Vale saber que dar um tapa no bumbum do recém-nascido para que ele chore não é uma prática adotada pelos médicos na sala de parto.
  
Logo após o nascimento, o choro tem uma função importante. Ele  auxilia  o bebê  a  reter  o  ar  dentro  dos  pulmões.
Para facilitar ainda mais esse processo, o médico pode colocar uma  sonda  que também libera a passagem de  ar. Como isso é realizado? A sonda é ajustada primeiro na boca e depois no nariz e, assim, suga o  líquido  amniótico  que  não foi  expulso  durante  o  parto. Os pais, muitas vezes, se assustam com esse procedimento.  Mas não há com o  que se preocupar porque isso é algo normal e feito para o bem-estar do pequeno.
  Terminado o Apgar e a retirada do líquido dos pulmões, o neonatologista pinga um colírio especial nos olhos da criança para prevenir a conjuntivite neonatal.
  Por fim, se ela estiver com a temperatura estável, será pesada e medida e, em seguida, tomará um banho. Essa primeira limpeza, que em  algumas  maternidades ocorre fora da sala de parto e na companhia do  pai, não higieniza o recém-nascido nem retira totalmente o vérnix, camada de gordura branca que recobre os bebês nascidos no tempo certo,  mas, sim, tem o objetivo de estimular o primeiro contato  entre  pai  e  filho.  Depois disso, o bebê é apresentado ao seio materno. A ideia não é necessariamente alimentá-lo, mas sobretudo proporcionar um momento de carinho e aconchego.
  
  Dali, a criança segue para o berçário, onde continuará sendo observada  pela equipe médica. É importante que antes de sair da sala de parto ela já esteja com a pulseira de identificação, colocada no braço e/ ou na perna.  E, em poucas horas, o bebê, finalmente, estará próximo não apenas da
nova mamãe mas de toda a família.


Quando é preciso ir para a UTI


Às vezes, o bebê não se adapta tão bem à vida fora do útero e então segue para a unidade de terapia intensiva, a UTI, onde será
avaliado mais detalhadamente. Essa opção assusta muitos pais, mas, em geral, ela é tomada por um excesso de zelo, e não necessariamente por um problema grave. O importante é manter a calma. Logo o pequeno estará na companhia da família.

Leia também

0 comentários

Ficamos felizes com sua visita e comentário! :)

Posts Recentes

Fanpage