Papo de gestantes: A prematuridade (Parte 1)

22:33


Uma gravidez tem duração de 40 semanas, mas, às vezes, o bebê nasce antes do tempo, entre a 22ª e a 37ª semana de gestação. Quando isso acontece, o parto é  considerado prematuro. Afinal, como o próprio nome indica, o nascimento se dá antes que a criança esteja madura.
 Entre as gestantes,  há  aquelas  que correm  maior  risco de  ir  para  a  maternidade  antecipadamente.  Nesse grupo estão as mulheres com histórico de prematuridade, ou seja, que já tiveram um bebê nessas  condições.  As grávidas de gêmeos também podem entrar em trabalho de parto antes da hora. Finalmente, f azem parte do grupo de risco as futuras mamães  que  tiveram  sangramentos persistentes  no  primeiro  ou  no  segundo trimestre  da  gestação.  Se,  além  de apresentar um desses fatores de risco, a mulher ainda tiver um colo uterino curto, a  probabilidade  de  a criança  nascer prematura será ainda maior.
Existem testes capazes de prever o parto prematuro, mas não vale a pena aplicá- los em todas as mulheres — os médicos costumam indicá-los  apenas  para  esses casos já mencionados, que formam o grupo  de  risco.  Um dos exames é o da fibronectina, uma proteína colada à membrana do  útero. Ele é feito  por  meio  da coleta da secreção vaginal a partir da 22ª
semana de gravidez e repetido a cada 15 dias. Se houver a presença  da  proteína, isso sinaliza ao médico que o parto pode acontecer nos sete ou 14 dias seguintes. Outro indicador de prematuridade é a medida do colo uterino, que costuma ser obtida com precisão por meio de uma ultrassonografia transvaginal, entre a 22ª e a 24ª semana.  Trata-se de  outro  exame que  pode  ser  repetido  nas  semanas seguintes  para  orientar  o  obstetra  que acompanha a gestante de risco.
Quando esses testes confirmam ao médico que o parto prematuro pode, de fato, acontecer, ele costuma lançar mão de algumas medidas de prevenção. A primeira delas é o repouso.  Em uma situação dessas, é preciso descansar tanto o corpo quanto a mente.  Por isso muitos médicos propõem até mesmo o afastamento do trabalho. A atividade sexual também costuma  ser suspensa e, para  completar o pacote de medidas, o obstetra pode indicar medicamentos, como a progesterona natural, que vem obtendo resultados brilhantes — esse hormônio consegue evitar até 50% dos partos prematuros.

Leia também

2 comentários

  1. Muito interessante , não sabia desses exames, faço parte dessa grupo de risco já que tive um filho prematuro. Na próxima todo cuidado será óuco!!Obrigada pelas dicas!Bjs

    ResponderExcluir

Ficamos felizes com sua visita e comentário! :)

Posts Recentes

Fanpage